8 de junho de 2017

HUPAA/UFAL: Sintietfal repudia golpe contra a autonomia universitária

O Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Profissional e Tecnológica no Estado de Alagoas (Sintietfal) repudia publicamente o ataque à autonomia universitária da UFAL por parte da Superintendência Nacional da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) que, sob o comando de Temer e seus asseclas, exonerou sumariamente a Superintendente do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), a professora Fátima Siliansky.

 

A decisão ilegal e arbitrária do Governo Federal foi tomada no último dia 6 de junho sem nenhum diálogo com a comunidade universitária e usuária do hospital e nem com a Reitora da UFAL, a professora Valéria Correia, que trouxe a médica e pesquisadora em saúde pública da UFRJ há um pouco mais de um ano para assumir a gestão do HUPAA.

 

A atitude da superintendência nacional da EBSERH é um afronte a democracia e demonstra o modelo de gestão e a forma que o Governo Federal pretende conduzir os serviços públicos, já marcados pela falta de investimentos e valorização de seus servidores. Vale destacar aqui importância que os HU´s têm em todo o país no cuidado e atenção aos mais pobres e que, por isso, é alvo de tantos ataques do governo.

 

A sua natureza foi mudada em 2011, quando tirou das universidades a sua gestão e passou para uma empresa criada pelo governo Dilma com essa finalidade. A luta dos movimentos sociais, de saúde e dos sindicatos, à época, foi contra a criação da EBSERH e a entrega do patrimônio dos hospitais universitários para a empresa, por entender que tanto a educação como a saúde são serviços públicos essenciais que não podem ser gerenciados sob a égide do mercado, com metas e até tempo estipulado para procedimentos. 

 

A política neoliberal de criar empresas de direito privado para gerir serviços públicos é o que está posto no horizonte deste Governo. Isso precariza ainda mais os serviços, fortalece mecanismos de terceirização, as OS´s e põe em cheque o Regime Jurídico Único. 

 

Os 6 anos de existência da EBSERH comprovam o retrato da tragédia anunciada: os HU´s continuam sem investimentos, faltam recursos materiais e humanos para seu funcionamento, os profissionais contratados pela empresa através da CLT sofrem com diferenciação na carreira e nos salários e estão mais susceptíveis ao adoecimento laboral. Além disso, a comunidade sofre com a ingerência da Superintendência Nacional, que confirma a falta de democracia na empresa.

 

O Sintietfal se solidariza com a gestão da professora Valéria Correia e da superintendente exonerada Fátima Siliansky, que neste último ano tentou democratizar a gestão do HU e estabelecer um diálogo com trabalhadores e usuários na defesa dos serviços públicos. Desta forma, exige a imediata revogação da portaria nº 136, de 6 de junho de 2017, tornando sem efeito essa exoneração autoritária. Ao tempo, que denuncia o ato do Governo Federal como uma perseguição política a uma gestão contrária à cartilha golpista do Governo Federal.

 

Pela imediata revogação da exoneração da Prof. Fátima Siliansky!
Em defesa da autonomia universitária!

 

Diretoria Executiva do Sintietfal
8 de junho de 2017

8 de junho de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *