28 de junho de 2017

Moção de Repúdio à Gestão do Câmpus Maceió

No dia 23 de junho, véspera da festividade junina de São João, os servidores do IFAL no câmpus Maceió foram tratados, de maneira diferenciada, pela gestão. Ao definir a data como ponto facultativo, dispensou os docentes de suas atividades e determinou expediente normal, das 7h às 18h, para os servidores administrativos.

 

O Sintietfal chegou a tentar intermediar o tratamento igual para todos os servidores no câmpus e, no dia anterior ao ponto facultativo, procurou a gestão. Na ocasião, a Diretora de Ensino, Gisele Loures , informou que a decisão de estender o horário dos TAEs partiu da Diretora-Geral substituta, Maria Emília, a partir de informação vinda da DGP, de que, devido à impossibilidade de os Técnicos reporem o dia de trabalho, estes não teriam como ser também contemplados com a medida. Disse ainda que os docentes reporiam esse dia em 9 de julho, durante os jogos estudantis.

 

A falta de informação e transparência das decisões no câmpus Maceió gera para os servidores um sentimento de desconforto e de falta de isonomia entre as categorias. Não é a primeira vez que isso acontece e, quase sempre, são os TAEs os mais prejudicados pelo tratamento desigual dado pelos gestores.

 

Nesse sentido, a Assembleia Geral Extraordinária, do dia 26 de julho, repudia a atitude da gestão do câmpus Maceió nesse episódio. O Sintietfal acredita que é possível avançar na democratização das gestões e apostar na tomada de decisões coletivas, que fortaleçam o sentimento de isonomia entre os TAEs e Docentes. 

 

Seguimos na luta por tratamento igual e respeito a todos os servidores!

 

Maceió, 28 de junho de 2017.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas.

28 de junho de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *