Sintietfal denuncia Emenda Constitucional nº 95, o Escola Sem Partido e reivindica participação estudantil no Seminário EMI do Conif

O Sintietfal está presente no Seminário Nacional de Ensino Médio Integrado, realizado pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), em Brasília, reivindicando melhorias para a educação pública, gratuita e de qualidade.

Em debate realizado na tarde desta quarta-feira, 8 de setembro, o presidente do Sintietfal, Hugo Brandão, apontou a Emenda Constitucional nº 95 como o principal golpe do governo Temer contra a educação e os serviços públicos.

“Ou eu estou engado ou ela representa, a médio e longo prazo, o fim dos institutos federais. É isso que está em jogo. Dois: Isso vai chegar em curto prazo no contracheque dos servidores. Os nossos estudos e as nossas pesquisas indicam que daqui a 5, 6 anos vai chegar em nosso contracheque. O governo agora tem autoridade a dar calote no servidor público. O governo vai dizer, eu reconheço seu auxílio alimentação, a sua RSC, a RT, mas infelizmente eu tenho dispositivo constitucional que me impede a pagar”, afirmou o dirigente sindical.

O Sintietfal, junto ao Sinasefe, também levantou a bandeira da liberdade e da autonomia do professor em sala de aula, criticando o projeto Escola sem partido. “O Conif não falou nada sobre a escola sem partido. É um silêncio amedrontador. Esse é o maior e mais duro ataque contra a atividade docente e o Conif não fala nada”, criticou Hugo Brandão.

Para o presidente do Sintietfal, os dirigentes das Instituições Federais de Ensino Profissional e Tecnológico devem lutar, junto aos servidores, de maneira enfática contra os ataques à educação, a exemplo do Escola Sem Partido.

“Lá em Alagoas, a reitora da Universidade está nas ruas, com os movimentos sociais, subindo em trio elétrico, fazendo fala. Enquanto, os Institutos Federais, que estão em risco, o nosso Reitor, os pró-reitores e a maioria que é da gestão ficam nos seus ar-condicionados e sequer vão às ruas lutar com os servidores”, defendeu.

Hugo Brandão defendeu ainda participação estudantil no Seminário EMI, já que quase a totalidade dos 800 participantes são servidores. “É vergonhoso os estudantes não estarem participando. Lá de alagoas não veio nenhum estudante em nossa delegação. Isso é uma vergonha. Essa instituição é feita com e para os estudantes. E nessa primeira fala, eu quero reivindicar a participação massiva dos estudantes”, manifestou o presidente do Sintietfal.

Seminário EMI

O 2º Seminário Nacional de Ensino Médio Integrado do Conif conta com delegações de todo o país. De Alagoas, cerca de 40 servidores representam o IFAL. O Sintietfal também está presente através dos diretores da entidade, Hugo Brandão, Fabiano Duarte e Elaine Lima.

+++ Seminário do Conif: Sintietfal participa de mobilização contra a Reforma do Ensino Médio e a BNCC de Temer

O evento acontece de 7 a 9 de agosto, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília-DF, como parte da programação do Encontro de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conecta IF 2018).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *