Servidores/as do Ifal aderem à Greve Nacional da Educação

Os/as servidores/as do Ifal vão parar contra os cortes de verbas na educação e a Reforma da Previdência de Bolsonaro. Por unanimidade, em Assembleia Geral Extraordinária, a categoria definiu aderir à Greve Nacional da Educação, dia 15 de maio, e à Greve Geral do dia 14 de junho.

A AGE, convocada pelo Sintietfal, lotou o auditório Prof. Jorge Batista no câmpus Maceió. Foram mais de 150 presentes entre professores, TAEs e estudantes que, de forma uníssona, rejeitaram o corte no orçamento do Ifal e os ataques à educação e a aposentadoria.

Os presentes definiram paralisar todo o Ifal no dia 15 de maio, realizando uma concentração no câmpus Maceió a partir das 7 horas, com café da manhã, e às 9 horas se somar à grande manifestação marcada no CEPA.

“Nossa categoria está unida e ciente da necessidade de defender a nossa Rede Federal. Só a luta poderá reverter a crueldade que este governo tá fazendo com a educação. Por isso, vamos parar o Ifal, fazer greve e ir às ruas contra toda a retirada de recursos da educação, em defesa do futuro dos nossos filhos e em defesa dos Institutos e Universidades Federais”, disse Hugo Brandão, presidente do Sintietfal.

O sindicato, em parceria com o movimento estudantil, também vai organizar caravanas dos câmpus da região metropolitana para se somar ao ato unificado na capital. Além do Sintietifal, Adufal, Sintufal, Sinteal, Fenet, DCE-UFAL, DCE-Uncisal, Sinpro/AL, SAE/AL e outras entidades também estão convocando para a passeata em defesa da educação.

Em alguns câmpus mais distantes, os/as servidores/as do Ifal também fizeram assembleias locais, definiram aderir à Greve Nacional da Educação e realizar manifestações em suas cidades junto com estudantes e pais de alunos, garantindo lutas contra o corte nos quatro cantos de Alagoas.

“Esse governo é inimigo da educação pública e do futuro da juventude. Vamos mostrar nossa força, fazer com que ele tenha medo dos estudantes da Rede Federal. Vamos nos multiplicar e fazer um grande ato, nas ruas, no dia 15 de maio”, convocou Peterson Lessa, representante da Federação Nacional de Estudantes em Ensino Técnico (Fenet).

#TiraaMãodoMeuIF

A assembleia do Sintietfal também foi repleta de depoimentos em defesa da educação e da importância do Ifal para o desenvolvimento de Alagoas e para a transformação da realidade social. O professor Flávio Veiga, diretor do Sintietfal, lembrou de o quanto é transformador ter uma educação federal com qualidade, desenvolvendo pesquisa e extensão no interior de Alagoas.

“Boa parte dos meus alunos, quando eu lecionava em Santana do Ipanema, eram dependentes do Bolsa-família. Muitos eram a esperança de mudança de vida dos pais, de transformar vidas pela educação. Esse corte pretende inviabilizar o funcionamento dos Institutos Federais. É uma demonstração que esse governo fascista não tem compromisso com a sociedade, com a classe trabalhadora e com povo o sertanejo”, disse Veiga.

Para o diretor de comunicação do Sintietfal, Ederson Matsumoto, mesmo que o Ifal economize cortando pessoal da limpeza, vigilante, motoristas, internet, água, energia e visitas técnicas, não será possível manter o dia-a-dia da Instituição com R$ 18,65 milhões a menos.

“Motorista e o pessoal da limpeza são pais e mães de família; internet não é luxo, é obrigação. Sem água e eletricidade não tem como funcionar. A Instituição tem que ter peito e dizer que fechará as portas em setembro, mas não aceita funcionar sem condições e demissões . A mensagem que a gente passa realizando os cortes é que podemos viver com menos e não podemos! Que feche as portas, mas vamos até o fim com dignidade”, disse o professor Japa.

Matsumoto fez uma apresentação em slides e mostrou que em 2010, quando o Ifal tinha apenas quatro câmpus, funcionava com a verba de capital parecida com o de hoje, mesmo possuindo 16 unidades de ensino.

Agenda

Além das Greves já aprovadas, dia 15 de maio e dia 14 de junho, o Sintietfal definiu atividades de panfletagens e visitas em câmpus para mobilizar para a Greve. De forma conjunta com o movimento estudantil, ficou acertada uma panfletagem em Maceió para segunda-feira, 13. A concentração está marcada às 10h e às 16h na Coordenação de Ciências Humanas (Confira aqui o panfleto). Os/as estudantes também seguem fazendo suas assembleias e mobilizando para o ato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *