Sintietfal apoia greve dos/as Jornalistas de Alagoas

Categoria iniciou movimento paredista contra a redução de salários na manhã desta terça-feira, 25

 

Os/as jornalistas de Alagoas iniciaram nesta terça-feira, 25 de junho, uma greve por tempo indeterminado contra a redução de 40% do piso salarial. Com forte adesão da categoria, o movimento paredista realiza protesto em frente às três emissoras do Estado desde às 4 horas da manhã.

O Sintietfal manifestou seu apoio aos/às jornalistas e repudiou a proposta dos donos dos meios de comunicação de Alagoas. “As empresas demonstram nenhum compromisso com a informação de qualidade e nem responsabilidade com a vida dos/as trabalhadores/as”, afirmou, em nota, a diretoria sindical.

Além do Sintietfal, diversos outros sindicatos, a Ufal, a OAB, figuras públicas, parlamentares e até o governador do Estado se posicionaram contrários a posição das Organizações Arnon de Mello (Gazeta/Globo), do Sistema Pajuçara de Comunicação (TV Pajuçara/Record) e da TV Ponta Verde (SBT) em reduzir salários e cortar direitos.

A greve, já anunciada pelos jornalistas, foi referendada na noite desta segunda-feira, 24, em Assembleia lotada de jornalistas e estudantes. Sem nenhuma proposta além corte de salários e direitos por parte dos grandes grupos de comunicação do Estado, a categoria se viu obrigada a deflagrar o movimento paredista por dignidade e respeito. A  decisão dos profissionais da comunicação ocorreu após três tentativas de conciliação entre o Sindicato dos Jornalistas de Alagoas e as empresas de comunicação diante da justiça do trabalho acerca da campanha salarial 2019.

Confira a nota do Sintietfal em apoio à greve dos jornalistas:

Sintietfal diz não à redução do piso dos jornalistas

O Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas, entidade representativa dos servidores/as do Ifal, repudia a proposta das empresas de comunicação de Alagoas de reduzir o piso salarial dos/as jornalistas em mais de R$ 1.400,00.

A proposta das empresas para o acordo coletivo de 2019 pretende acabar com conquistas históricas do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas, reduzindo o piso salarial de R$ 3.565,27 para R$ 2.150,00, implantando banco de horas, tele trabalho e compensação de jornada. Busca, com isso, reduzir drasticamente suas folhas de pagamento, com demissões e substituições de profissionais.

O Sistema Pajuçara de Comunicação (Rede Record), que tem como sócios proprietários o prefeito de Maceió, Rui Palmeira e o usineiro João Tenório; TV Gazeta de Alagoas (Rede Globo), pertencente ao senador Fernando Collor e TV Ponta Verde (SBT) do grupo Sistema Opinião de Comunicação estão entre as principais empresas que apresentaram a proposta de rebaixamento salarial para os/as jornalistas.

Como a constituição não permite a redução de salários, as empresas se apoiam na nova lei Trabalhista para reduzir o piso da categoria, realizar demissões em massa e contratar uma mão-de-obra 40% mais barata. Assim, as empresas demonstram nenhum compromisso com a informação de qualidade e nem responsabilidade com a vida dos/as trabalhadores/as.

O Sintietfal se coloca em solidariedade aos/às jornalistas e conclama a categoria a se levantar para impedir esse absurdo. Só a luta organizada da categoria é capaz de garantir condições dignas de trabalho e vida para os/as jornalistas de Alagoas.

Maceió, 20 de junho de 2019
Diretoria Executiva do Sintietfal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *