Greve Nacional da Educação começa com força no Ifal

Sindicato avalia positivamente o início das 48 horas de luta

Assembleia conjunta convoca passeata em Piranhas

A Greve Nacional da Educação está sendo um sucesso no Ifal. Rodas de conversa, cines-debates, oficinas, visitas às rádios e atividades artísticas, culturais e desportivas estão marcando o primeiro dia das 48 horas de luta em Alagoas.

De acordo com o deliberado em Assembleia Geral, realizada pelo Sintietfal, as ações da greve devem se concentrar dentro dos câmpus do Ifal no dia 2 e tomar às ruas no dia 3. Ao menos nove unidades de ensino abriram suas portas para atividades em defesa da educação e contra o Future-se.

“As primeiras das 48h de greve do Ifal têm sido bastante intensas em todo o estado de Alagoas. Temos ações diversas que vão da manhã até a noite em alguns câmpus. Uma intensa e participativa preparação para um grande dia de luta amanhã, contra os cortes covardes nas verbas, contra o programa de desmonte chamado Future-se eem defesa da educação pública gratuita e de qualidade”, afirmou o diretor de comunicação do Sintietfal, Ederson Matsumoto.

“Está sendo um dia significativo para a luta em defesa da educação pública, especialmente, para a defesa do Ifal. É preciso combater o projeto desse governo que não tem nenhum compromisso com a educação pública e com uma sociedade mais justa, que é contra uma sociedade que se emancipe através do conhecimento, da ciência, da pesquisa e da extensão”, completou o diretor de políticas educacionais Flávio Veiga.

Na maioria dos câmpus, as aulas foram completamente paralisadas durante as 48 horas de greve. Nos demais, as aulas podem estar acontecendo parcialmente ou apenas nas primeiras 24 horas da paralisação. Para o dia 3, a expectativa é que o todo o Ifal feche as portas e sua comunidade acadêmica esteja nas ruas, nos atos marcados para Maceió, Arapiraca, Penedo, Viçosa, Santana do Ipanema e Piranhas.

“Nos câmpus, vimos os/as servidores/as se mostraram dispostos a participarem dos atos em defesa da rede federal de ensino, principalmente depois de conhecerem os projetos só Governo de desmonte das IFEs e precarização da educação pública para favorecimento à iniciativa privada. Acreditamos que teremos atos fortes em todo o estado e com a participação maciça dos servidores, dos estudantes e da comunidade externa ao IFAL, que compreende a necessidade de irmos todos às ruas para defender o nosso patrimônio nacional, a educação pública federal e a nossa soberania”, afirmou Silvia Regina, vice-presidenta do Sintietfal.

A Greve no Ifal está sendo construída também pelos grêmios estudantis do Ifal e pela Fenet, que estão tendo atuação importante nas 48 horas de luta.

Giro nos Câmpus

Maceió

Em Alagoas, a Greve Nacional da Educação teve início no câmpus Maceió com um café da manhã a partir das 7h30. Com a unidade de ensino completamente vazia pela adesão ao movimento paredista, alguns servidores/as e alunos participaram de um debate no auditório prof. Jorge Batista sobre o Future-se e a carreira dos TAEs, conduzido pela diretora do Sintietfal, Elaine Lima, e pela servidora Marília Matsumoto, respectivamente. Pela tarde, acontece um cine-debate do Neabi facilitado pelos professores Wanderlan Porto, Amaro Hélio e Magno Francisco.

 

Marechal Deodoro

O câmpus Marechal Deodoro está sendo o mais intenso de atividades no dia de hoje. Às 7h30, teve partida de queimada seguida por uma roda de conversa com o tema “toca fogo na misoginia”, organizado pelo professor Zilas Nogueira e Elaine Raposo. Por volta das 10h, no auditório da unidade de ensino, ocorreu uma roda de conversa sobre o Future-se e a exibição do filme “espero tua (re)volta”, coordenado pelos servidores Fabrício Tavares e Acássia Deliê.

O câmpus está apenas com atividade da greve, que seguem pela tarde até a noite com oficina de slam, com a estudante Abigail; oficina de defesa pessoal, com a professora Sibele Lima; com futsal; e debates sobre a educação.

Satuba

Em Satuba, as ações da greve começaram com uma panfletagem no câmpus e, por volta das 9h30, um debate no auditório da unidade de ensino sobre os cortes na educação e o projeto Future-se. A discussão serviu como uma plenária de mobilização para o ato unificado em Maceió. Houve paralisação parcial na unidade de ensino e amanhã a paralisação será total.

Santana do Ipanema

Na manhã do primeiro dia de Greve, o câmpus Santana do Ipanema ficou completamente paralisado, acontecendo apenas um debate sobre o filme “A Onda” na unidade de ensino. Fora isso, o diretor do Sintietfal Levy Brandão, o professor da Ufal José Menezes e estudantes do Ifal estiveram na rádio divulgando a programação da greve. Assista aqui.

Na tarde desta quarta-feira, será realizado um debate sobre o Future-se no Ifal e uma atividade denominada “ocupando a praça”, com mostra de projetos, roda de conversa e aulão pré-enem.  As atividades mobilizam também para o ato do dia 3, quando ocorrerá uma manifestação unificada com a Ufal e a rede estadual em Santana.

Piranhas

Os/as servidores/as e estudantes em Piranhas começaram o dia de greve com uma exibição de filme e debate sobre a educação. Em seguida, no auditório da unidade de ensino, foi realizada uma plenária que aprovou coletivamente a realização de uma passeata na cidade sertaneja. O câmpus Piranhas está completamente sem aulas e segue, pela tarde, com atividades artísticas e oficinas. Assista aqui o vídeo convocando para o ato.

Viçosa

O câmpus Viçosa recebeu a caravana da diretoria do Sintietfal, com Silvia Regina, Fábio Sales, Flávio Veiga e Viviane Morcef, para um debate sobre o programa Future-se, envolvendo alunos e servidores/as. Na unidade de ensino, as aulas aconteceram parcialmente. Na tarde de hoje, está prevista uma oficina de cartazes em preparação para o ato público no centro da cidade de Viçosa. A manifestação está marcada para o dia 3 às 9h30 na praça Apolinário Rebelo.

Palmeira dos Índios

No câmpus Palmeira dos Índios, o Sintietfal organizou uma roda de conversa em defesa do Instituto Federal e contra o Future-se. A atividade contou com a participação do diretor do Sintietfal, Fabiano Duarte, e mobilizou estudantes e servidores/as. O debate sobre o tema ocorrerá novamente na tarde de hoje e pela manhã e tarde do dia 3. A unidade de ensino está funcionando parcialmente.

Penedo

O câmpus Penedo parou completamente. A manhã do primeiro dia de greve teve cine-debate contou com o filme “Uma história de amor e fúria” e foi coordenada por estudantes. Pela tarde, está previsto o “Curta café”, com o filme “Chimamanda Adichie: o perigo da história única”, coordenado pelo grupo de estudos de humanas do Brasil contemporâneo. A unidade de ensino está mobilizada para a passeata unificada com a Ufal, marcada para o dia 3 de outubro, às 14 horas.

Arapiraca

O câmpus Arapiraca teve grande mobilização estudantil no dia 1º de outubro, quando, os/as estudantes, coordenados pelo Grêmio, realizaram assembleias pela manhã e pela tarde para deliberar adesão à Greve Nacional da Educação. Hoje, a unidade de ensino está paralisada, sem atividades. No dia 3, estudantes e servidores/as devem se fazer presentes no ato unificado marcado para às 8h no Centro de Arapiraca.

Murici

Em Murici, houve uma roda de conversa com estudantes e servidores/as sobre a importância da greve e da luta em defesa da educação. No dia 3, a unidade de ensino deve parar completamente e se somar à manifestação unificada na capital alagoana.

São Miguel

As aulas foram parcialmente paralisadas e não aconteceu atividades de greve na unidade de ensino. Amanhã, servidores/as e estudantes participam do ato na cidade de Maceió.

Maragogi

Os/as servidores do câmpus Maragogi, em assembleia local, definiram paralisar totalmente as atividades no câmpus durante as 48 horas. A categoria deverá se fazer presente nas manifestações de Maceió e Recife, já que muitos moram nessas cidades.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *