Comissão de Flexibilização apresenta novo estudo em reunião do Colégio de Dirigentes

Sintietfal considera como um avanço o resultado do trabalho da comissão

A Comissão de Flexibilização, instituída pela portaria nº 229/GR, de 29 de janeiro de 2019, apresentou publicamente ao Colégio de Dirigentes o resultado de mais de um ano de trabalho. A reunião aconteceu na última sexta-feira, 14 de fevereiro, na sala dos Conselhos na reitoria do Ifal.

O seu novo estudo sobre os ambientes de trabalho do Ifal, entre outras mudanças, passa a avaliar as atribuições de servidores e não mais os cargos. “O estudo apresentado na reunião foi um avanço na pauta da flexibilização. A partir do parecer de nossa assessoria jurídica, a comissão amplia a flexibilização para ambientes administrativos, assim como o entendimento das atribuições dos/as servidores/as”, afirmou Carlos Borges, diretor jurídico do Sintietfal.

Para o Sintietfal, o estudo apresentado pela comissão representa avanços em relação à portaria em vigor. “O resultado foi bom para a categoria e conseguimos progredir. A pauta está evoluindo conforme sempre apontamos enquanto sindicato, que a flexibilização é uma decisão do gestor maior da instituição, como está colocado no decreto que regulamenta o assunto”, completou Borges.

A apresentação da Comissão, realizada pelas Alana Messias, Fernanda Ísis e Ana Roberta, finalizou afirmando que o estudo é uma sugestão da comissão e que precisa ser transformado em portaria pelo Reitor. “É uma sugestão diante do que foi estudado. Cabe ao Reitor avaliar e entregar uma nova regulamentação, autorização. O fato de a gente entregar esse estudo não significa que ele está vigente ainda”, afirmou a Comissão.

Diante dos Diretores Gerais dos Câmpus, o Reitor se comprometeu a levar a frente as sugestões da comissão de flexibilização. Mas, sob a alegação de tempo, a pauta “ponto eletrônico e a flexibilização” não foi aprofundada.

“Infelizmente a pauta ficou reduzida à apresentação do estudo da comissão, sem o devido debate sobre o tema, e discussão do ponto eletrônico”, afirmou Renato Lobo, diretor sindical. O Sintietfal aguarda uma agenda com o Reitor sobre essa pauta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *