Pilar: Assembleia define adesão à Greve dos Petroleiros

Sintietfal participa de assembleia e apoia entrada de Alagoas no movimento grevista

A estação de Pilar foi a primeira unidade da Petrobrás em Alagoas a definir sua adesão à Greve Nacional dos/as petroleiros/as. A assembleia foi realizada pelo Sindpetro AL/SE na manhã desta terça-feira, 11 de fevereiro, e contou com o apoio do Sintietfal, do DCE-UFAL e do Sitramico.

“Aprovamos a adesão à greve nacional petroleira. A partir de hoje, vamos entrar na greve e se somar aos trabalhadores petroleiros nacionalmente”, informou Jamison Gonçalves, diretor do Sindpetro e trabalhador da estação de Pilar.

Assembleia aprova Greve Petrobrás em Pilar

O diretor do Sintietfal, Gabriel Magalhães, esteve presente na assembleia dos/as petroleiros/as na estação do Pilar, expressando apoio à adesão em Alagoas à greve da categoria.O Sintietfal reforça também a defesa da Petrobras 100% estatal e dos serviços públicos e convoca todos/as os/as trabalhadores/as para construir a Greve Geral no dia 18 de março.

Posted by Sintietfal on Tuesday, February 11, 2020

 

A greve, em todo o país, chega ao seu 11º dia e já mobiliza mais de 100 unidades do sistema Petrobrás contra as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) e o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho. A mobilização é também uma resposta dos/as petroleiras ao governo Bolsonaro contra a privatização.

“Não tem como fugir de aderir à greve nacional. Só a unidade da classe petroleira é que ode garantir a defesa da Petrobras como empresa estatal e necessária para resolver os problemas da saúde, da educação, da mobilidade e da segurança. Nesse sentido, foi muito importante a deliberação dos petroleiros da estação do Pilar e também do apoio dos movimentos que vieram aqui”, afirmou Paulo Bob, dirigente do Sindpetro AL/SE

Para Gabriel Magalhães, diretor do Sintietfal, a defesa da Petrobrás deve ser feita por toda a classe trabalhadora, pois se trata de um “setor de suma importância para o desenvolvimento do país e de nossa soberania”.

“Dado o interesse do governo Bolsonaro-Mourão-Guedes de privatizar as refinarias e todo o parque produtivo da Petrobrás, é fundamental que nós nos somemos nessa luta em defesa desse patrimônio, assim como os companheiros se somam em nossas lutas em defesa dos serviços públicos e da educação”, disse o diretor do Sintietfal.

Em sua fala na assembleia, o dirigente sindical reforçou também a importância da Greve Geral dos serviços públicos, marcada para o dia 18 de março, e a unidade da classe trabalhadora contra a política econômica do Governo Federal.

“É fundamentar que todos nós apontemos e coloquemos em nossas agendas o dia 18 de março como o Dia Nacional de Greve em defesa dos serviços públicos, porque não somos parasitas, e em defesa de todas as nossas empresas públicas”, completou Magalhães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *