Sintietfal realiza consulta pública sobre as diretrizes do Ensino Remoto no Ifal

A minuta das diretrizes institucionais do Ensino Remoto Emergencial será votada nesta quinta-feira, 26 de agosto, a partir das 9 horas, na reunião do Conselho Superior do Ifal. Para recolher sugestões de modificações no documento, o Sintietfal está disponibilizando a última versão da minuta e um formulário de propostas.

+++ Acesse aqui: Formulário de Sugestões e Minuta modificada pelo CEPE

A versão mais atual das diretrizes do Ensino Remoto, aprovada no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, não foi disponibilizada no site do Ifal. Ou seja, não está acessível a toda comunidade acadêmica. Somente os/as membros/as do Conselho Superior tiveram acesso ao documento, junto com a convocatória da reunião.

A iniciativa da consulta pública do sindicato permite que mais servidores/as e membros/as da comunidade acadêmica opinem e sugiram alterações sobre o funcionamento da nova modalidade de ensino, que a reitoria já quer iniciar na próxima segunda-feira, 31 de agosto.

“Graças ao debate e a pressão do sindicato, dos estudantes e egressos no Consup, temos essa oportunidade de abrir um dia para receber sugestões da comunidade acadêmica. Se dependesse do que o reitor estava prevendo quando colocou a minuta na pauta com regime de urgência, as diretrizes já estariam votadas em tempo recorde, sem consulta pública e nem ao menos serem públicas as modificações do CEPE no documento”, afirmou Hugo Brandão, presidente do Sintietfal e representante da categoria no Conselho Superior.

+++Ensino remoto emergencial é parcialmente aprovado no Ifal

As contribuições devem ser enviadas até às 20 horas desta quarta-feira para que o sindicato sistematize e apresente na reunião da quinta-feira, que deve votar proposta a proposta da minuta das diretrizes do ensino remoto emergencial.

Um Comentário em “Sintietfal realiza consulta pública sobre as diretrizes do Ensino Remoto no Ifal

Narel Silva de Oliveira
26 de agosto de 2020 em 15:32

Seria vantajoso para os alunos que houvessem provas baseadas em assuntos da grade do ensino médio, e que tais assuntos fossem disponibilizados em videoaulas gravadas e apostilas explicativas em pdf

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *