Diretor do Sintietfal participa de webnar do IFF sobre a Reforma Administrativa

Evento acontece nesta quarta-feira, 16 de dezembro

 

O tesoureiro do Sintetfal, professor Gabriel Magalhães, participa nesta quarta-feira, 16 de dezembro, do webnar “Proposta de Reforma Administrativa – PEC 32/2020: análises e reflexões”. O palestrante da mesa será o professor Roberto Leher, ex-reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O evento, organizado pela reitoria do Instituto Federal Fluminense, terá início às 10h e será transmitido pelo canal da Rádio IFF Educativa YouTube. Rodrigo Gadelha, da direção do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe – Seção IFF), mediará o webnar.

Segundo informações dos organizadores, o evento tem por objetivo iniciar os debates junto à comunidade do IFF sobre as implicações da proposta de Emenda Constitucional 32/2020 que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa.

“No decorrer do debate serão destacadas as principais alterações em relação à atual organização administrativa nas diversas esferas de governo, assim como seus impactos na sociedade, de acordo com a visão dos participantes”, afirmou Helder Siqueira Carvalho, diretor executivo da Reitoria.

Para Gabriel Magalhães, a luta contra a reforma administrativa é essencial para a defesa da educação e da saúde pública. “Em 2021 o conjunto dos/as servidores/as públicos/as e dos/as trabalhadores/as em geral precisarão somar esforços em defesa da vacinação gratuita e para todos/as, fortalecimento do SUS integralmente público e da educação pública, recusando qualquer modalidade de privatização, como a proposta de usar R$ 16 bi do Fundeb para escolas privadas. Todas essas iniciativas passam necessariamente pela derrota da PEC32, a chamada reforma administrativa, e todas as demais que fragilizam o serviço público brasileiro em benefício da terceirização e da mercantilização”, afirmou o dirigente sindical.

Sobre a PEC 32/2020

A Reforma Administrativa, chamada pelo governo de PEC da Nova Administração Pública, altera 27 trechos da Constituição e introduz 87 novos. As principais medidas tratam da contratação, da remuneração e do desligamento de pessoal. Com a PEC 32/2020, o governo Bolsonaro e Paulo Guedes querem o fim da estabilidade, redução dos tipos de carreira, diminuição de salários e revisão de benefícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *