Sintietfal cobra da Reitoria informações sobre o Ensino Remoto no Ifal

O Sintietfal protocolou um ofício cobrando esclarecimentos da Reitoria do Ifal sobre a implementação do Ensino Remoto Emergencial. O documento foi entregue na última quinta-feira, dia 26 de novembro, pelo presidente da entidade, Hugo Brandão.

O intuito do ofício é cobrar informações necessárias para se fazer uma avaliação do ensino remoto no Ifal, como prevê o artigo 1º § 1º das diretrizes que institui a modalidade de ensino.

Entre as informações solicitadas, estão dados sobre os tablets e chips para acesso à internet, a participação dos alunos nas aulas, os auxílios, a avaliação dos professores/as etc. O documento também está sendo entregue aos diretores dos campi.

Em vídeo, o presidente do Sintietfal, Hugo Brandão, apresentou a preocupação da entidade da efetividade do ensino remoto, principalmente em um governo contrário à educação pública.

“O Sintietfal vai estar vigilante em relação a implementação do ensino remoto.  Queria dizer para nossos/as alunos, que vamos continuar reivindicando condições de participação nas aulas remotas. Já para nossos servidores/as, mesmo entendendo esse ensino de forma emergencial e mesmo entendendo que para parte dos nossos servidores e servidoras é importante nesse momento termos o ensino remoto, trazemos o debate do que pode representar os perigos em relação a implementação do mesmo para as carreiras mais especificamente dos nossos docentes”, afirmou o presidente do Sintietfal, Hugo Brandão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *