Novo PNLD (objeto 2) não contempla docentes de história, afirma manifesto

Fórum de Docentes de História da Rede Federal aponta críticas ao PNLD e quer novo edital para material didático

O III Fórum de Docentes de História da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica publicou manifesto, no dia 23 de julho, com diversas críticas à forma de construção curricular do PNLD/2021 e defendeu a autonomia dos Institutos Federais para rejeitar mudanças nos livros didáticos.

Acesse o manifesto aqui.

O Fórum de Docentes não concorda com as alterações dos Planos Pedagógicos de Cursos (PPCs), de acordo com o novo formato curricular dos livros didáticos. Segundo manifesto, isso “impede o desenvolvimento da aprendizagem dos/das estudantes de forma lógica e coerente”.

O guia digital do PNLD, no contexto das Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, define quanto à estrutura curricular que as obras didáticas serão destinadas à etapa de Formação Geral, sendo compostas por seis volumes autocontidos, podendo ser utilizadas em qualquer ano do Ensino Médio. Para os docentes, a nova construção do PNLD não possui uma metodologia adequada para o ensino nas escolas de nível médio, principalmente no Ensino Médio Integrado.

“A adoção de uma nova temporalidade histórica ou seleção de uma matriz que comporte História, Filosofia, Geografia e Sociologia não significou nenhum progresso ou evolução, ou seja, o grupo entende que não houve nas obras analisadas reconhecimento de como, de fato, os conhecimentos se relacionam e se estruturam do ponto de vista metodológico, teórico e, sobretudo, didático. Soma-se a isso, o fato de que os livros em questão diluem a discussão sobre a história africana, a história afrobrasileira e história indígena, dificultando colocar em pauta as leis 10.639/03 e 11.645/08”, afirma trecho do manifesto.

A conclusão do manifesto é que a alteração do plano de curso não deve ser efetivada, em função do novo formato curricular dos livros de história, de acordo com o objeto 2. Que deve ser aguardado futuros editais de livros didáticos e mídias educacionais que sejam coerentes com as formas de organização curricular do Ensino Médio Integrado e que atendam também a outras redes de ensino.

Em entrevista pulicada pelo Sintietfal, a dirigente sindical Ana Lady pontuou a deficiência dos livros em questão. “[…]Os novos livros são superficiais, reduzem temas importantes a conteúdos toscos. Misturam os assuntos sem qualquer aprofundamento técnico ou teórico e chamam isso de ‘interdisciplinaridade’, o que na verdade não ocorre”.

+++ Novo Ensino Médio: Ministro da Educação faz discurso LGBTQIAfóbico e quer sua ideologia no livro didático, afirma dirigente sindical

A entrevista com a diretora do Sintietfal aborda também diversos temas e ajudam os/as docentes a esclarecerem dúvidas para rejeitar a escolha do Objeto 2. O prazo de escolha segue aberto até o dia 11 de agosto.

+++ Começa hoje ciclo de debates sobre o “Objeto 2” do Plano Nacional do Livro Didático

Sobre este tema, a Frente por um PNLD democrático está realizando um webnário até o dia 9 de agosto. As inscrições para o evento ainda podem ser feitas pelo link. O evento está sendo transmitido pelos canais da Frente no YouTube e no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *