7 de Setembro: Povo vence o medo e vai às ruas no feriado da independência dizer “Fora Bolsonaro”

Sintietfal participa do Grito dos/as Excluídos/as em defesa da educação, da vida, do serviço público e democracia

Docentes e TAEs levaram às ruas bandeira em defesa do Ifal

Apesar da ameaça ao regime democrático, o Dia da Independência, 7 de setembro de 2021, foi marcado por grades manifestações em todo Brasil pelo “Fora Bolsonaro”. Desta vez, em conjunto com o tradicional Grito dos/as Excluídos/as.

Em Alagoas, três cidades registraram atos: Maceió, na Orla de Pajuçara; em Arapiraca, no bairro da Primavera; e em Delmiro Gouveia, na Avenida do Futuro.

Os atos fizeram parte da quinta manifestação nacional pelo impeachment de Bolsonaro, iniciados no dia 29 de maio. Desta vez, as manifestações ocorreram no dia em que Bolsonaro convocou seus/suas aliados/as a realizarem atos com pautas antidemocráticas.

“Mais um Grito dos/as Excluídos/as. E, nesta edição, o Grito é Fora Bolsonaro. O povo não aguenta mais esse governo do atraso, da morte, da corrupção. Esse governo que vai deixar sua marca registrada como o pior governo do pais. Bolsonaro acha que vai intimidar o povo brasileiro, convocando os/as seus/suas seguidores/as, seu rebanho, seus gados, para irem às ruas, numa tentativa golpista. Mas nós mostraremos para esse ‘capitãozinho’ o que o povo quer. Queremos saúde, educação, comida e emprego”, afirma Yuri Buarque, secretário geral do Sintietfal.

Durante o ato, os/as manifestantes defenderam o direito à vida, através da vacinação em massa; o direito à moradia; a democracia; o serviço público e a educação pública, fortemente ameaçados pela Reforma Administrativa (PEC 32).

“Eis o verdadeiro patriotismo: povo na rua em defesa da classe trabalhadora. Eis o verdadeiro sentido do dia 7. Mais uma vez, os movimentos e organizações sociais do campo e da cidade, entre eles o Sintietfal, deram demonstração de organização, mobilização e resistência em defesa da classe trabalhadora e da democracia. Sem incidentes e de forma democrática lutaram e caminharam pelas ruas da cidade para derrotar o projeto da morte e corrupto do desgoverno genocida. Seguimos firmes até a vitória!”, reiterou Claudemir Martins, diretor do Sintietfal, presente na manifestação em Delmiro Gouveia.

Antidemocrático
O 7 de setembro também foi a data escolhida por Bolsonaro para chamar seus/suas apoiadores/as às ruas em defesa de pautas antidemocráticas, como o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e a ameaça de um golpe militar com o cancelamento das eleições 2022. Com dinheiro e estrutura do Estado, o presidente participou de manifestação em Brasília e em São Paulo no mesmo dia, esperando mobilizar milhões de pessoas.

Na avenida Paulista, durante a manifestação pró-Bolsonaro com 150 mil pessoas ao invés das 2 milhões esperadas pelos organizadores, o presidente declarou que não cumprirá as decisões do ministro Alexandre de Moraes do STF e que todos os disseminadores de ódio e Fake News que estão presos devem ser libertados. Além disso, discursou a favor do voto impresso, afirmando que o Tribunal Superior Eleitoral não irá convencê-lo de que não há fraudes na urna eletrônica.

Em resposta, o presidente do STF, Luiz Fux, afirmou que os desprezos às decisões judiciais são práticas antidemocráticas e ilícitas, configurando assim, crime de responsabilidade. Que o STF jamais irá tolerar ameaças à autoridade de suas decisões e finalizou afirmando que o desemprego, a inflação, a crise hídrica e a fome devem ser as principais preocupações do governo.

Confira a galeria

7 de setembro – Povo na rua pelo #ForaBolsonaro, Maceió e Delmiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *