Com grande participação, Assembleia Municipal em Maragogi debate Reforma da Previdência e cortes no Ifal

AM também discutiu a necessidade de organização dos/as servidores/as para defender seus direitos

 

A Assembleia Municipal dos servidores/as do Ifal Câmpus Maragogi, realizada na manhã desta terça-feira, 22 de maio, reuniu docentes e TAEs do Ifal para debater, entre outros temas, a Reforma da Previdência, os cortes no orçamento do Ifal e as ameaças às carreias e ao serviço público federal. Trabalhadores/as terceirizados/as e estudantes também participaram da atividade.

“Fortalecemos o sindicato com a realização desta Assembleia e acredito que estamos num novo momento de resgate da credibilidade da luta sindical junto à categoria. A vinda dos membros da Direção Executiva do Sintietfal consolida a seriedade que estamos propondo na descentralização do sindicato e da forma como pretendemos conquistar os interesses da categoria. Saímos da assembleia com uma agenda ativa municipal”, disse Renato Lobo, diretor municipal do Sintietfal.

A atividade contou com a palestra sobre a Reforma da Previdência e seus impactos para os/as servidores/as públicos/as, como parte do ciclo de debates que a entidade sindical está proporcionando em vários Câmpus do Ifal. Na ocasião, os diretores do Sintietfal Gabriel Magalhães e Yuri Buarque foram os responsáveis pela exposição sobre o tema.

“É nítido em nossa categoria o sentimento de revolta contra esse governo que corta da educação e que quer aprovar essa maldade que é a Reforma da Previdência”, descreveu Gabriel Magalhães, tesoureiro do Sintietfal.

Para Yuri Buarque, diretor-secretário sindical, as palestras estão conscientizando, cada vez mais, sobre a necessidade da greve geral para defender a aposentadoria.

“Para que a gente não morra trabalhando ou morra sem se aposentar, a Greve Geral do dia 14 de Junho é a saída para derrotar esse governo e sua Reforma da Previdência”, completou Buarque.

#TiraaMãodoMeuIF

Diante também do cenário de ataques aos Institutos Federais, os/as presentes na Assembleia debateram a importância do fortalecimento do sindicato e organização popular para lutar contra os cortes na educação pública, que influência diretamente o funcionamento dos Câmpus do Ifal. Caso sejam mantidos os cortes, bolsas podem ser canceladas, os/as trabalhadores/as terceirizados/as podem ser demitidos e o próprio Ifal pode parar por falta de recursos em setembro.

“O Instituto, para gente, é a nossa segunda casa, passamos muito tempo aqui. Essa é a realidade de muitos estudantes, que estão sempre precisando desse apoio que é oferecido pelos Ifs. Participar da Greve Nacional da Educação, do dia 15 de maio, foi uma experiência maravilhosa. Foi a primeira manifestação que participei efetivamente e também organizei. Eu agradeço muito aos servidores que colaboraram e foram às ruas conosco, na defesa do Ifal. Mostramos que a voz dos estudantes existe e precisa ser ouvida, até mesmo aqui na nossa cidade que tem um histórico latente de coronelismo”, falou uma estudante do Câmpus Ifal Maragogi na assembleia.

Presença

Além dos diretores municipais do Sintietfal, o presidente da entidade, Hugo Brandão, o tesoureiro, Gabriel Magalhães, o Diretor-Secretário, Yuri Buarque e o diretor jurídico, Carlos Borges estiveram presentes na Assembleia representando a Diretoria Executiva do sindicato.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *