Sinasefe: Servidores/as aprovam indicativo de greve para dia 16 de maio

Os/as servidores/as federais da educação básica, profissional e tecnológica aprovaram o indicativo do dia 16 de maio para deflagração de greve em defesa da recomposição salarial de 19,99%. O cancelamento da Reforma Administrativa (PEC 32/2020) e a revogação do Teto de Gastos para os serviços públicos (EC95/2016), também fazem parte das bandeiras levantadas do movimento.

A decisão foi tomada na 173ª Plena do Sinasefe, realizada na última quinta-feira, 21 de abril, de forma virtual. A atividade contou com 55 participantes, sendo 40 delegados/as e 15 observadoras/es, representando 23 seções sindicais. O Sintietfal foi representado pelo servidor Darliton Cezario, do campus Coruripe.

Conforme deliberado, as seções sindicais devem realizar suas assembleias para deliberem adesão à greve e a construção de um calendário de lutas capaz de pressionar o governo federal a abrir mesa de negociação com os/as SPFs.

A deflagração de greve para conquista da reposição salarial dos/as servidores/as é eminente diante do posicionamento do Governo Bolsonaro, que, em resposta aos meses de lutas e reivindicações, anunciou a possibilidade de reajuste de apenas 5% para o funcionalismo.

Para o servidor do Ifal, Darliton Cezario, presente na Plena, as mobilizações nas bases são necessárias para o êxito na luta. “Minha avaliação é que precisamos de muita mobilização, muito engajamento para poder enfrentar os desafios que se apresentam. Pois, apenas dois institutos iniciaram a greve, mas recordo que, em um deles a gestão colocou que não cortaria o ponto. O que, em minha avaliação, mostra uma consciência de classe dos/as colegas servidores/as que estão na gestão. E isso precisa ser acompanhado pelos demais IFs”, afirmou o servidor.

Bolsonaro tenta impedir a mobilização dos/as servidores/as públicos/as através da Instrução Normativa Nº54/2021, que sugere medidas a serem tomadas pelos integrantes da Administração Pública Federal em casos de paralisação e greve. De acordo com a IN nº54, as Instituições devem registrar ‘falta por greve’ nas ocorrências de ponto, para que haja o desconto na folha de pagamento. Para os/as presentes na Plena, essa medida é mais uma das ações do Governo Bolsonaro para tentar silenciar os/as servidores/as públicos/as.

Outros pontos

Além da deliberação sobre a greve, o III Encontro Nacional de Mulheres do Sinasefe, a prestação de contas pelo Conselho Fiscal do Sinasefe, e o 34º Consinasefe também foram pautas abordadas na Plena.

Sobre o III Encontro Nacional de Mulheres do Sinasefe, foi aprovado que a Plenária de Mulheres, realizada sábado, 23 de abril, estava responsável por deliberar sobre as pautas e o local do evento. O encontro será realizado em Fortaleza, entre os dias 16 a 19 de julho.

+++Plenária confirma cidade-sede do III Encontro de Mulheres do Sinasefe

Sobre a Prestação de Contas da Direção Nacional gestão 2018-2022, o Conselho Fiscal do Sinasefe deu parecer favorável e a plena o aprovou sem votos contrários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *