Reestruturação das carreiras: Servidores/as se mobilizam, gestores se solidarizam, mas governo ignora

O dia 22 de fevereiro, Dia Nacional de Luta em Defesa da Educação, foi marcado por muita mobilização e solidariedade em torno da reestruturação das carreiras. Em todo Brasil, sindicatos movimentaram a categoria nas bases e em Brasília. Reitores/as e diretores/as também publicaram notas em solidariedade. Entretanto, na reunião da Mesa Setorial Temporária sobre Carreira não houve avanços.

“Foi um dia de importante de mobilizações em todo o Brasil em defesa das carreiras dos/as servidores/as da Educação federal. Entretanto, a proposta apresentada pelo governo foi apenas a repetição de reajuste zero para 2024. O governo não apresentou uma única proposta efetivamente voltada para reestruturação tão urgente e necessária das nossas carreiras. Essa postura do governo é inaceitável”, afirmou Yuri Buarque, presidente do Sintietfal, em vídeo divulgado no fim do dia 22.

+++ Governo não responde propostas de docentes e repete percentual oferecido aos SPFs (para 2025 e 2026)

Na reunião, o Governo voltou a apresentar zero de reajuste para 2024 e possibilidade de reajuste de 4,5% em 2025 e mais 4,5% em 2026, mas sem tratar das alterações reivindicadas na malha salarial e na carreira como um todo.

Mobilizações

No Ifal, o Sintietfal organizou uma ação com café da manhã no campus Satuba, distribuindo camisetas, entregando panfletos e dialogando com a categoria. A ampla adesão em apoio à pauta fez com que os/as servidores/as vestissem a camisa pela reestruturação das carreiras já.

Em Piranhas, o Sintietfal também realizou um café com os/as servidores/as para apresentar as reivindicações que estão em debate entre o Sinasefe e o governo. Em Coruripe, a diretoria sindical visitou setores, panfletando e mobilizando a categoria.

Diálogo no campus Piranhas

Em Brasília, o Sinasefe participou de ato para pressionar o governo em favor das reivindicações da campanha salarial, como também, junto aos/às estudantes exigindo mais verbas para a educação federal. A mobilização ocorreu diante do MEC, onde foram realizadas as duas mesas setoriais das carreiras Docente e TAE, pela manhã e pela tarde, respectivamente.

Solidariedade

Como forma de demonstrar apoio, principalmente, à reestruturação da carreira TAE, gestores publicaram notas pedindo a sensibilidade do governo para melhorar a carreira mais desvalorizada do serviço público federal.

“Todos os servidores e colaboradores da rede são essenciais para a educação profissional, científica e tecnológica. Assim, temos compromisso com a Reestruturação da Carreira dos TAEs. Nós sabemos que nenhum processo dentro da Rede acontece sem a participação de um técnico administrativo”, afirmou Joaquina Nobre, em vídeo gravado, representando o pleno do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

+++ Nota do Conif em apoio a reestruturação da carreira dos Técnicos Administrativos em Educação

+++Andifes manifesta Apoio à Proposta de Reestruturação da Carreira do PCCTAE

Nas redes sociais, o Ifal também reforçou essa bandeira. “O reitor Carlos Guedes se une a reitores/as de instituições públicas federais de ensino para reforçar a necessidade de VALORIZAÇÃO e VISIBILIDADE da carreira TAE, bem como o reconhecimento dos/as servidores/as que fazem educação pública federal ser referência no país!”.


28 de fevereiro

A próxima data nacional de luta é o dia 28 de fevereiro, quando ocorrerá a Mesa Nacional de Negociação Permanente. O Fórum de Entidades Nacionais do Serviço Público Federal está convocando um dia de paralisação contra a proposta de reajuste zero em 2024.

O Sintietfal realiza sua Assembleia Geral nesta sexta-feira, dia 23 de fevereiro, às 10 horas, para avaliar a campanha salarial e debater a adesão ao Dia Nacional de Lutas e Paralisações dos/as Servidores/as Públicos/as Federais.

+++ Sintietfal convoca nova Assembleia para definir adesão ao dia nacional de paralisação

Informe da Mesa Docente

Informe da Mesa TAE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *