Ditadura Nunca Mais: Ato público defende a punição de Bolsonaro e dos generais

Diante da proximidade dos 60 anos do golpe militar de 1964, movimentos sociais, sindicais e políticos realizaram atos públicos no último sábado, dia 23 de março, em todo o Brasil para repudiar a tentativa de um novo golpe, orquestrado por Bolsonaro e os generais. Em Alagoas, a atividade foi realizada pela manhã no calçadão do comércio.

O ato simbólico teve como lema “Em defesa da democracia. Ditadura nunca mais!” e dialogou com a população de Maceió através de panfletos e falas no carro de som.

“O oito de janeiro de 2023 foi uma consequência direta da falta de punição da ditadura de 1964. Os agentes da repressão e os militares não foram punidos. A lei da anistia preservou todos os criminosos daquele período. Pessoas que cometeram o crime de estupro, sequestro, ocultação de cadáveres, simplesmente envelheceram tranquilamente recebendo suas pomposas pensões pagas pelo povo brasileiro. É por isso que estamos aqui, para luta pela prisão de Bolsonaro e todos os golpistas do dia oito de janeiro”, afirmou Thyago Miranda, diretor do Sindicato dos Bancários e membro do Comitê Memória, Verdade, Justiça, Reparação e Democracia (CMVJRD) de Alagoas, que representou a CUT na manifestação.

A próxima atividade para exigir punição aos golpistas será o dia 1º de abril, data dos 60 anos do golpe militar, quando deve ser realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Alagoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *