Sinasefe aprova indicativo de greve para 3 de abril

Sintietfal convocará servidores/as do Ifal para deliberar sobre a greve

Plenária do Sinasefe aprovou greve a partir do dia 3 de abril

Os/as servidores/as dos Institutos Federais de todo país devem entrar em greve a partir do dia 3 de abril, conforme decisão aprovada na 187ª Plenária Nacional do Sinasefe.

A Plenária, ocorrida nos dias 16 e 17 de março, em Brasília, contou com a presença de 58 seções sindicais e mais de 210 pessoas, sendo 87 destas virtualmente. Participaram como delegada do Sintietfal, a docente Ana Lady, e como delegado da base, o TAE Carlos Borges, do Campus Maceió.

De acordo com a deliberação, a pauta da greve é composta por cinco eixos, sendo eles: Carreiras – de acordo com as propostas aprovadas nas Plenárias do Sinasefe sobre reestruturação das carreiras de técnico-administrativos e docentes; Salários – seguindo a proposta do Fonasefe da Campanha Salarial 2024; Revogação do Novo Ensino Médio; Revogaço, pautando a revogação de Portarias, Decretos e MPs que atacam o serviço público realizadas nos últimos dois governos neoliberais; e Orçamento, pela recomposição orçamentária da Rede Federal de Educação.

Carlos Borges, delegado da base.

De acordo com Carlos Borges, a Plena foi fundamental para reforçar aos/às trabalhadores/as da educação federal a necessidade de se organizar através da luta para conquistar seus direitos.

“O único caminho para a gente conseguir parar esse avanço de destruição e sucateamento do serviço público federal, especificamente da educação, é com luta. Só os/as trabalhadores/as organizados/as, entrando em greve, fazendo atos públicos e conscientizando a comunidade acadêmica e a população em geral que a gente vai conseguir avançar no sentido de valorização dos/as trabalhadores/as com a reestruturação de carreira e no valorização salarial, já que só tivemos perdas durante todo esse período”, destacou Borges.

Ana Lady, diretora de comunicação do Sintietfal.

A diretora de comunicação do Sintietfal, Ana Lady, falou sobre a importância da participação de toda comunidade no debate sobre a greve, inclusive do diálogo com os/as estudantes sobre a realidade da educação e dos Institutos Federais.

“Muitos campi têm sofrido e a comunidade escolar não sabe exatamente o que está acontecendo. Existe a necessidade de conversarmos, principalmente, com os/as estudantes. A greve é um instrumento legítimo para mostrar nossa insatisfação não só em relação aos nossos salários, que precisam de recomposição urgente, mas também de mais verba para os Institutos Federais para aumentar o orçamento, para voltarmos a ter bolsas, a ter restaurante, a ter mais qualidade para a vida os/as alunos/as”, afirmou Ana Lady.

Sintietfal convocará Assembleia para deliberar sobre a greve

No dia 27 de março, no Ifal Campus Maceió, acontecerá a Assembleia Geral Extraordinária do Sintietfal para deliberar acerca da adesão à greve. Mais informações serão divulgadas em breve.

Confira a convocação feita pelo presidente do Sintietfal, Yuri Buarque, e pelo tesoureiro do sindicato, Artur dos Anjos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *