5 de dezembro de 2017

Manifestação reúne centenas de trabalhadores contra Reforma da Previdência

Manifestação reúne centenas de trabalhadores contra Reforma da Previdência

 

Servidores públicos, estudantes, movimentos sociais e trabalhadores ocuparam as ruas do Centro de Maceió na manhã desta terça-feira, 5, em protesto contra a reforma da Previdência. O ato, organizado por movimentos sociais e centrais sindicais, foi mantido em Alagoas, apesar da suspensão da greve nacional por parte da CUT, Força Sindical, CTB, UGT, NCST e CSB.

A concentração aconteceu na Praça Sinimbu, de onde saíram em caminhada pelas ruas por volta das 10h30. O protesto, organizado pelo Fórum Alagoano em Defesa da Previdência, foi encerrado por voltas das 12h30, em frente ao antigo Produban.

O Sintietfal esteve presente nesta atividade com um carro de som próprio para ampliar o diálogo com a população. Às 7h da manhã, os servidores se concentram para um café da manhã no Câmpus Maceió, promovido pelo Sintietfal, e em seguida caminharam pela Rua Barão de Atalaia em direção ao protesto na Praça Sinimbu.

Com carro de som, faixas e aos gritos de ordem contra a Reforma da Previdência, a passeata tomou as principais ruas do Centro e foi apoiada pelas pessoas que transitavam. O ato é uma forma de pressionar a classe política para a não aprovação da Reforma da Previdência proposta pelo governo Temer, que tenta reunir os votos necessários para a votação na Câmara dos Deputados na próxima semana.

“O governo adiou a votação da reforma exatamente porque a pressão política da sociedade e dos movimentos organizados está fazendo efeito, por isso a importância de estarmos mobilizados nas ruas. Essa não é hora de recuo, agora que os trabalhadores precisam avançar e dizer não ao governo”, afirmou o tesoureiro do Sintietfal, Gabriel Magalhães.

De acordo com a vice-presidente do Sintietfal, Silvia Regina, a participação em peso da classe trabalhadora no movimento só reafirma o descontentamento dos brasileiros com essa reforma.“ Hoje os trabalhadores saíram novamente de suas casas para dizer um grande não para o total absurdo que é essa Reforma da Previdência, estamos cansados de tanto descaso. Essa grande marcha mostra para eles que a nossa voz ainda é ativa e continuaremos na luta até o fim ”, disse.

Para a acadêmica de enfermagem Andrezza Almeida, de 23 anos, um ato como a manifestação desta é de grande importância, não só para os membros de sindicatos, mas para toda a sociedade trabalhadora. “ Os direitos que estão sendo retirados são de todos os brasileiros, os jovens precisam estar conscientes disso”, explica.

Interior

O Sintietfal também esteve presente em mobilizações no interior do estado. Em Penedo, docentes e TAEs suspenderam as atividades nos dois turnos dos cursos médios integrados de Açúcar e Álcool e Meio Ambiente.

Eles convocaram os estudantes para uma grande plenária onde foi explicada a importância da paralisação contra os ataques de Temer e quais os principais impactos da conjuntura do Brasil na comunidade do câmpus. Após os debates, servidores e alunos confeccionaram faixas com palavras de ordem contra a Reforma da Previdência e espalharam por todo instituto.

 

 

5 de dezembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *